Os bancados pela banca - relativo a 'ajudinha' dos bancos aos candidatos


 
Qualquer tipo de proximidade com bancos pode transformar em vidraça qualquer candidato em campanha – Marina Silva que o diga. Contribuições financeiras dos banqueiros, contudo, não costumam ser rejeitadas pelos tesoureiros das campanhas. Prova disso são as doações dos dois maiores bancos privados brasileiros, Bradesco e Itaú, que, somadas, chegam a 84,1 milhões de reais.
 
O Bradesco e mais dez empresas vinculadas ao Grupo Bradesco doaram 65,2 milhões de reais às campanhas, divididos em 45 milhões de reais a partidos e 20,1 milhões de reais diretamente aos candidatos. Entre os presidenciáveis, Dilma Rousseff foi a única ajudada até agora. Recebeu 3 milhões de reais da Bradesco Capitalização e mais 2 milhões de reais da Tempo Serviços.
 
O Itaú foi mais econômico que o concorrente. Destinou 18, 8 milhões de reais aos candidatos e fechou a mão aos partidos, que não receberam sequer um tostão seu.
Até o momento, de acordo com as prestações de contas entregues ao TSE, os únicos candidatos à presidência lembrados pelo Itaú foram Eduardo Campos, Aécio Neves e o nanico José Maria Eymael. Campos e Aécio receberam 2 milhões de reais cada um no início de agosto e o candidato do PSDC embolsou 50 000 reais.
 
Por Lauro Jardim
 

Um comentário:

Marcos Borkowski disse...

'Nossa, mas não acredito que façam isso! Banqueiros tão interessados e que tanto lutam pelo bem-estar do povo brasileiro, que nunca fazem nada pensando em si mesmos e cujos lucros anuais, quase que miraculosos, são tão somente, naturais!! Deve se tratar de ações só voluntariosas pelo bem do nosso Brasil, que não visam qualquer interesse pessoal. Ahh, só pode ser isso mesmo! Parabéns a estes bem benfeitores, fico grato a eles desde já!" ???