A taça do mundo é nossa, com brasileiro não há quem possa!


 
Quando presencio um partido político, PPS, apresentar-se nos canais de televisão com a sua maldita propaganda eleitoreira, (*nem em anos sem eleição estes caras não param de nos encher o saco), anunciando ser o mais decente do país, não sei se rio ou se choro, mas sei que muitos pensamentos ruins voltam a minha mente. Me faz lembrar inclusive daquelas listas com uma infinidade de nomes de integrantes deste e de outras ‘sociedades ilimitadas’. onde se prima principalmente no âmbito da corrupção desavergonhada, desvios, financiamentos de campanha, compra de votos para isso e aquilo, etc. Bom, então é preciso demonstrar citando alguns nomes para que qualquer um, a partir de uma pesquisa bem simples, logo entenda a que me refiro:
Fernando Estima - (acusação:  Sanguessuga); Edson Figueiredo Magalhães (formação de quadrilha, dispensa ou inexigibilidade de licitação, excesso de exação, peculato, advocacia administrativa, usurpação de função pública e de estelionato); Cezar Busatto (Excesso de corrupção); Raul Jungman (denunciado pelo Ministério Público Federal, por atos de Corrupção no ministério de FHC. Desviou R$ 33 milhões da reforma agrária para pagar empresas de publicidade de Roberto Medina (irmão de Rubem Medina, dos DEM/PFL), e da RNN, empresa da esposa do Jornalista Ricardo Noblat. CPI da tapioca fazendo mal uso do dinheiro público. Entre outras coisas, encontraram gastos com massagista, bebidas alcóolicas, duplicidade de hospedagem (duas diárias em hotéis diferentes no mesmo dia e na mesma cidade), gastos com alimentação em Brasília como se fossem despesas de viagem).

Por outro lado, devido às ações de arruaceiros, que se encarregaram de denegrir e vandalizar as últimas mobilizações populares, tudo pelo que o 'bloco dos dois milhões’ lutou e exigiu não foi acatado, nem reforma política, nem referendo, nem isso, nem aquilo, e até mesmo os institutos de pesquisa voltaram ao seu desserviço ao país, ao crime de Lesa-Pátria, ao anunciar aprovações presidenciais em alta, que como bem já sabemos, claro que contratadas (compradas) e portanto, MENTIROSAS.
Mas o Brasil de hoje é isso aí mesmo que presenciamos diariamente, um lodo de um lamaçal imundo do qual me parece que nunca conheceremos a sua profundidade. E este apodrecimento social tem seus culpados. Eles estão em praticamente todas as instituições, tanto de enorme representação como nas de pouquíssima, mas que quando somadas, unidas, assumem o poder.

Tudo começa com as pessoas que de alguma forma obtêm suas empresas, seus bancos. Estes se encarregam de propagandear nos organismos de imprensa, financiando-os e corrompendo-os. Desta forma, a imprensa jamais irá contra aos interesses destes, só publicará o que lhes interessar ou é claro, perderão a grana, a mamata, o seu ganha pão, que lhes é enviado periodicamente. Na verdade, ao não publicarem algo que deveria ser de conhecimento público, de forma covarde calam a voz de alguns, isolando-os, mesmo que ofendendo aos seus direitos constitucionais fundamentais. Estes joguetes inescrupulosos evoluem atingindo proporções cada vez mais elevadas, conquistando novos adeptos ainda mais poderosos financeiramente, até que os seus interesses escusos pousam em Brasília, e lá tudo se decide e é legalizado, por mais suja que possa ser considerada a corrupção, mesmo que ofenda a Constituição brasileira. Como é facílimo organizar uma Emenda (entenda-se ‘remendo proposital) e mudar as regras do jogo favoravelmente a alguém. E é de domínio público que isso atinge até mesmo o judiciário, na internet mesmo encontramos uma avalanche de denúncias contra advogados, juízes, promotores e desembargadores. Esta instituição, Judiciário, deveria ser inabalável, imprescindível para a defesa do cidadão comum, o mais humilde, o mais fraco, comportar-se de forma a jamais ser motivo de quaisquer dúvidas e questionamentos, mas não é!
Para você que se dedicou a ler este meu humilde texto, peço que entenda também que isso tudo acontece nos grandes centros do país, mas ordinariamente também acontece nas pequenas localidades, onde talvez os joguetes sujos sejam ainda mais cruéis, pois é aonde os cidadãos tem menos recursos para fazer com que sua voz seja ouvida. São nestes locais que ainda existem os coronéis, os grupos que se prevalem por seu poderio financeiro, que juntamente com os lambe-botas, dominam a tudo e nada que possa ameaçar os seus interesses é publicado. São nestas pequenas localidades que habitam vários cidadãos conscientes de tudo que acontece, mas que são propositadamente silenciados, isolados, lamentavelmente para o nosso país e para todos os seus cidadãos comuns.

Marcos Borkowski
MVN - Brasil

Nenhum comentário: