Sociedade sem vergonha


Por Geraldo Almendra

O país assiste a um movimento de consolidação do fascismo, um movimento comandado pelo Poder Executivo antes das eleições de 2014, seguindo as ordens do submundo da política prostituída que é liderado pelo mais sórdido político que a sociedade já cometeu o gravíssimo erro de confiar nos seus discursos estelionatários, o Retirante Pinóquio.
 
Enquanto a economia começa a dar sinais de um processo de deterioração quase irreversível, devido à sua estrutura econômica falida e obsoleta, o desgoverno promove um amplo assistencialismo público e privado comprador de votos, como se o país estivesse nadando em dinheiro.
 
Essa incontrolável compra de votos por novas medidas assistencialistas, pelas desonerações fiscais, e pelos generosos aportes de dinheiro do BNDES para os empresários apaniguados pelo poder público, não têm mais limites, aumentando, de forma irresponsável e inconsequente, o déficit público, apesar da ampla, geral e irrestrita extorsão fiscal que atingem todos os contribuintes, uma extorsão fiscal que todos os anos bate recordes de arrecadação.
 
As propostas da revisão da legislação partidária, de aniquilação do Ministério Público como órgão de investigação, e da perda de autonomia do Superior Tribunal Federal, tudo sendo promovido dentro do Parlamento comprado pela gang dos 40, transformarão a sociedade em uma refém definitiva de um covil de bandidos, um poder público subornado e corrompido pelas gangs que gozam da impunidade de uma justiça degenerada.
 
As responsabilidades por essa desgraça para o país são muito maiores para aqueles que apoiam de forma consciente os desgovernos fascistas do PT e de sua base aliada. Estamos nos referindo aos esclarecidos canalhas.
 
--> Leia na íntegra: AQUI


Nenhum comentário: