Brasil, país onde a morte se tornou uma consequência banal


Mortes por arma de fogo
As mortes causadas por armas de fogo aumentaram 346% entre os anos de 1980 e 2010, segundo o Mapa da Violência 2013. Nesse período, as vítimas passam de 8.710 no ano de 1980, para 38.892 em 2010.
    A pesquisa foi realizada pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos e pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais, sendo consideradas para tanto as mortes por armas de fogo decorrentes de homicídios, suicídios ou de intencionalidade desconhecida, cuja característica comum foi a morte causada por uma arma de fogo.


Mortes por acidentes de trânsito


     Os dados fornecidos pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), apontam para aproximadamente 42 mil mortes anuais por acidentes no trânsito do Brasil – entre motoristas, motociclistas e pedestres.

     A quantidade de óbitos por acidentes com motos quase triplicou no País, saltando de 3.744 para 10.143 mortes. “Os números revelam que o País vive uma verdadeira epidemia de lesões e mortes no trânsito”, alerta o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Ele observa que a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que o Brasil ocupa o quinto lugar em ocorrências como essas. “Estamos atrás apenas da Índia, China, EUA e Rússia”, completa o ministro.
 

Saúde Pública do Brasil

     O brasileiro sofre para pagar cargas tributárias que são as mais altas do mundo. Por esse motivo deveria ter garantido o atendimento público de alto padrão e gratuito, mas não é o que se verifica. Só em sete capitais, mais de 170.000 pessoas terão de esperar até cinco anos por uma cirurgia não emergencial. Nos hospitais e pronto-socorros, mais filas e queixas quanto à qualidade do atendimento saudável.

     O IBGE relatou que na maioria dos municípios o saneamento não é feito pelo governo e em consequência disso pelo menos um quarto sofre com os desabastecimentos constantes.  Os mesmos dados apontam para o fato de que 90% não tem como conter as águas das chuvas e por isso sofrem com as inundações nas zonas urbanas. Sete em cada cem brasileiros sofrem com problemas de saúde pela falta de serviços de coleta de lixo. Casos de dengue crescem 190% de 2012 para 2013.  Por pagar valores altíssimos, os impostos mais caros do mundo, a população deveria ter direito a serviços públicos de saúde gratuitos e de ótima qualidade, no entanto, para talvez ter um atendimento um pouco mais digno, se obriga a pagar novamente por planos de saúde particulares.

     Os cidadãos mais humildes esperam por longos períodos em filas intermináveis a espera de um possível atendimento, por ordens para exames e cirurgias que podem demorar anos para serem realizadas. Não são raras as notícias de cidadãos que morrem por não conseguirem atendimento, como também pela falta de vagas e médicos nos hospitais. Ainda mais, é fato comprovado que o atendimento público é de péssima qualidade, ressaltando-se a falta de educação e respeito dos funcionários para com aquele que é a razão única de ser do serviço público.

Estes são apenas alguns dados reais da ineficácia da política praticada no Brasil, e os motivos são bem conhecidos por todos nós, conchavos e desvios de conduta de desavergonhados que vão desde os militantes mais humildes até os representantes mais destacados de exatamente todos os partidos políticos. Um mar de lama que exala um forte e constante odor de fraudes e corrupção! 

Nenhum comentário: