O roubo oficial do Nióbio... e o que é NOSSO, vai desaparecendo sem deixar rastro... saindo pelo ralo!

“Quando você perceber que, para produzir precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho; que as leis não nos protegem deles mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada e a honestidade se converte em auto-sacrifício, então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada.”
|Ayn Rand|

Segundo o artigo "A questão do nióbio - ou diga não a doutrina da subjugação nacional", do administrador de empresas e membro da Liga da Defesa Nacional, Ronaldo Schlichting, publicado pelo jornal A Nova Democracia, o Brasil se subjuga, e deveria dar mais valor às suas riquezas naturais e lembra que o país detém 98% das reservas mundiais exploráveis de nióbio, e o mundo consome, anualmente, cerca de 37 mil toneladas do minério, totalmente retiradas do território nacional. Em sua opinião, o preço do nióbio refinado, com 99,9% de pureza, tem um preço na Bolsa de Metais de Londres meramente simbólico, já que o Brasil praticamente é o único produtor mundial. Ele chega a dizer que o metal, a este preço, é como "um barril de petróleo vendido a US$ 1".

Schlichting acusa o governo brasileiro de "negligência com a seriedade das questões", e diz ainda que supostos interesses "escusos" estariam moldando a forma de lidar com o valor do nióbio. Também afirma que "o Brasil está pagando para ter todo o seu nióbio roubado, e que os nossos últimos 'governantes', para não perderem os seus assentos em Davos, Washington, Zurick, Frankfurt, Nova Iorque, Amsterdã e..., vão continuar fiéis discípulos e feitores da pavorosa doutrina da subjugação nacional".

PhotobucketE, segundo Adriano Benayon, doutor em economia pela Universidade de Hamburgo, ex-diplomata do Itamarati e autor do livro "Globalização versus Desenvolvimento", em seu artigo "Abrindo a Caixa Preta do Nióbio", o minério sai do país subfaturado e por vias clandestinas, e que "só com o nióbio o Brasil deixa de ganhar anualmente centenas de bilhões de dólares."



O fato é que na CPI dos Correios, o operador de falcatruas do PT, o "mensaleiro" Marcos Valério revelou na TV e para todo o Brasil que “O dinheiro do mensalão não é nada, o grosso do dinheiro vem do contrabando do nióbio”; e ainda acusou que “o Ministro José Dirceu estava negociando com os bancos uma mina de nióbio na Amazônia”, e é onde se localizam as maiores jazidas, a de São Gabriel da Cachoeira e Raposa-Serra do Sol em que transitam livremente ONG’s internacionais e mineradoras estrangeiras.

O artigo do jornalista Oscar Andrades, publicado em ucho.info este mês, "Nióbio, um avassalador projeto de roubo de divisas oficializado" explana que "consta que a reserva em área amazônica é conhecida desde 1980. Mas, sem explicações plausíveis, o governo Federal nunca explorou oficialmente, deixando o contrabando fluir livremente, num acordo que envolveria a presidência da República e os países consumidores, “legalizando” o roubo de expressivas divisas. Fontes ligadas à área de mineração indicam que o nióbio é negociado em Londres (país que não produz nem um quilo do produto) e entregue a países como a China e também para o Irã, a preços vis, ou seja, como intermediário, Londres consegue lucros astronômicos em detrimento dos cofres nacionais."

Vale lembrar, ainda, que em 2011 um grupo de empresas chinesas acertou a compra, por US$ 1,95 bilhão, de 15% da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), a maior produtora mundial de nióbio, que pertence ao grupo Moreira Salles, AQUI, e que foi o Enéas que levou a público a questão do Nióbio...


São anos e anos de roubalheira, tanto desse (des)governo como dos anteriores, e não se investiga, e a imprensa falada e escrita nada divulga, e o que é NOSSO, vai desaparecendo sem deixar rastro... saindo pelo ralo e indo para os bolsos dessa gentalha traduzida por partidos oportunistas  e que fazem essa política de lesa-pátria em interesse próprio!

Nenhum comentário: