É preciso urgente uma política diferente!

Na minha opinião humilde de cidadão brasileiro, Dilma Roussef nada mais é do um "tapa buracos", já que pela lei vigente o Lula não podia se candidatar a um terceiro mandato consecutivo. Foi eleita de modo impositivo, conforme prevê o Código Eleitoral quando trata de consideração dos votos válidos apenas. Trata-se na verdade, de uma presidente(a) ilegítima, pois tão somente 41.05% do total de eleitores a elegeu, não atingiu 50% + 1, e também, 58,95% não a elegeram, não a querem a frente do poder. É apenas a expressão da verdade! Infelizmente, essa pseudo-Democracia aplicada no "nosso Brasil" não ouve os clamores de "todos" os cidadãos exatamente, é excludente, impositiva, afinal, os que não votam, e os que votam, mas Nulo ou Branco, também estão dando a sua opinião, no caso, de insatisfação e rejeição ao que se está apresentando no cenário político do país. Mas esperemos para verificar em 2014, quem irá se candidatar a Presidência da República, a ilegítima ou o apedeuta?

Mas como sempre afirmamos, aguardamos ansiosos pelo dia em que a maioria deste povo acorde e anule o seu voto, faça verificar-se o seu poder, então saberemos qual autoridade irá prevalecer, a do povo, legítima, ou a dos que até então tomam o poder para si, políticos, judiciário, imprensa, entre outros. Caso o clamor popular não seja o que prevaleça, poderemos passar a afirmar que essa tal Democracia nada mais é do que um modo sútil para não transparecer ao mundo o regime escravocrata que é de fato o aplicado.

Todos os fatos ruins que já estamos exauridos de presenciar, a insegurança, a miséria extremada de alguns, saúde pública ridícula e ineficaz, educação horrível, de péssima qualidade, caos instituído nos grandes centros, tráfico de drogas e armas, assassinatos de militares e de cidadãos inocentes, excesso de liberdade, libertinagem, ruína da instituição família, manipulação das consciências, e mais uma infinidade de tantos outros problemas sociais, se devem a décadas de ingerência e corrupção desta política presidencialista brasileira que lamentavelmente, milhões são obrigados a se submeter, mas que pela sua própria inocência e insensatez não se permitem negar e dar um basta a tudo isso.

Já me disse um colega um dia: "Precisamos urgente de uma política diferente!" Aguardemos então para que tal se dê enquanto verficamos a passos extremamente lentos que de fato somos governados pelos ditames de apenas alguns, que tomam para si altos privilégios e que só fazem aumentar essa sua voracidade pela ganância e corrupção, indiferentemente dos grandes males que causam a todos os demais, a maioria, os cidadãos comuns.

Saudações!


Nenhum comentário: