Crises revelam diferença entre democracias

Dilma pode evitar questionamentos incômodos; no Reino Unido, Cameron é obrigado a prestar contas publicamente

Por Vaguinaldo Marinheiro, Folha de São Paulo, Londres

Uma comparação entre os escândalos no setor de transporte do governo federal brasileiro e o das escutas ilegais feitas por um tabloide no Reino Unido mostra uma enorme diferença entre as democracias dos dois países.

No Brasil, a presidente Dilma Rousseff pode se esconder e não dar explicações públicas sobre o caso. No Reino Unido, o primeiro-ministro David Cameron é obrigado a prestar contas de seus atos.

O escândalo brasileiro começou no dia 2 de julho, com reportagem da revista "Veja". Já derrubou um ministro e assessores, mas Dilma ficou calada até ontem, quando falou com poucos jornalistas numa conversa que nem pôde ser gravada.

Ainda não respondeu por que nomeou o ministro, que preço paga para ter apoio de alguns partidos, o que pretende fazer para sanear o setor que, segundo o próprio governo, é uma eterna fonte de problemas.

O caso das escutas no Reino Unido é mais antigo. Começou em 2005, mas esquentou no dia 4 de julho, após reportagem do "Guardian" mostrar que o foco das escutas não eram apenas celebridades, mas vítimas de crimes como uma menina de 13 anos raptada e morta por um maníaco sexual.

Em 16 dias, Cameron teve de se explicar no Parlamento três vezes. Na última, na quarta-feira, foi questionado por quase três horas.

A prestação de contas é institucionalizada na democracia britânica. Desde 1961, toda semana o primeiro-ministro vai ao Parlamento, onde é interrogado sobre o que fez ou pretende fazer.

Medicas econômicas, de política externa, mudanças na saúde, educação, tudo pode ser tema das perguntas, e o premiê precisa estar preparado, com dados na ponta da língua.

O "Prime minister question time" é transmitido pela televisão, e depois uma transcrição de todas as perguntas e respostas é colocada no site do governo.

Além dessa obrigação, Cameron dá entrevistas coletivas com frequência e também exclusivas para meios de comunicação.

Há 14 meses no cargo, deu exclusivas para todos os principais canais de TV, rádios e jornais.

Muitos podem dizer que os dois países são muito diferentes, que no Brasil existe presidencialismo, enquanto no Reino Unido vigora uma monarquia parlamentarista.

Mas transparência e prestação de contas ajudam a consolidar a democracia em qualquer modelo.

Nenhum comentário: