PF prende 59 por fraudar compra de medicamentos

Porto Alegre. A Polícia Federal prendeu, ontem, 59 pessoas em uma operação contra suspeitos de fraudar licitações e desviar verbas destinadas à compra de medicamentos em sete Estados (Rio Grande do Sul, 25; Santa Catarina, 3; Paraná, 6; Mato Grosso do Sul, 6; Mato Grosso, 18; e Rondônia, 1).

Entre os presos na chamada "Operação Saúde" estão 12 secretários municipais, que ocupavam as pastas de Saúde, Fazenda e Finanças. Também foram detidos 30 servidores públicos, que teriam ligações com três quadrilhas identificadas durante as investigações. Uma pessoa foi presa em flagrante por porte ilegal de arma.


Ao todo, foram expedidos 64 mandados de prisão temporária e 70 mandados de busca e apreensão. A operação mobilizou 282 policiais federais e 18 auditores da Controladoria Geral da União (CGU).

O desvio de verba públicas foi constatado em investigações iniciadas em 2009, com a participação da CGU. Em apuração inicial, a Polícia Federal constatou que apenas uma das quadrilhas chegou a movimentar R$ 40 milhões em 2009 e R$ 70 milhões no ano passado.

Segundo a CGU, as empresas envolvidas no esquema vendiam as licitações, oferecendo preços baixos em pregões presenciais de municípios de pequeno ou médio porte.

De acordo com a PF, as empresas envolvidas no esquema são de Barão de Cotegipe (364 Km de Porto Alegre), mas as investigações abrangem outros municípios gaúchos. Dados do Tribunal de Contas do Estado (TCE- RS) obtidos pela PF apontam que 450 cidades repassaram verbas para as empresas.

A investigação aponta que as empresas, em acordo com servidores, não entregavam nenhum ou apenas parte dos remédios comprados por licitação; ou então entregavam outra mercadoria ou remédios com prazo de validade muito próximo.

Os presos devem responder pelos crimes de corrupção ativa, passiva, fraude de licitações, formação de quadrilha, peculato (se apropriar de um bem no exercício da função) e lavagem de dinheiro.

Um comentário:

Marcos Borkowski disse...

Como se já não nos bastasse a mais do que comprovada ingerência da classe política na administração da saúde dos brasileiros, ainda temos de enfrentar ladrões e bandidos fraudando e desviando o pouco que se tem. Na minha humilde opinião de cidadão, esses canalhas tinham é que apodrecer na cadeia por crime de lesa-pátria, são milhões de brasileiros morrendo porque desavergonhados como estes metem a mão sem sentir a menor culpa.

Pois então, como a nossa honrosa Polícia Federal é a única instituição deste país que constantemente nos dá demonstrações do seu empenho e eficácia, a todos nós agora só resta rezarmos, e rezarmos muito mesmo, para que as demais instituições não ajam contrariamente soltando os bandidos que a Polícia Federal prendeu. Será pedir muito?