O Brasil que insiste em não dar certo:

Ainda vivemos em um país onde se admite que alguns que deveriam ser eleitos pelo povo, sejam tão somente empossados. São estes "senhores feudais" que ditam as regras ao seu bél prazer e que em sendo assim, calam a voz do povo. São estes ministros da justiça, procuradores, desembargadores, etc, ISTO TEM DE MUDAR PELO BEM DE TODOS NÓS !!!  NÃO PODEMOS MAIS VIVER COMO NO TEMPO DA ESCRAVATURA, ONDE OS CORONÉIS DITAVAM TODAS AS REGRAS EM BENEFÍCIO SEU E EXCLUSIVAMENTE SEU !!!

A MATÉRIA

"Documentos inéditos revelam que em pelo menos 5 Estados o Ministério Público dá auxílio-moradia a todos membros da instituição; muitos recebem mais de R$ 26,7 mil, limite no funcionalismo, desrespeitando regra que deveriam fiscalizar".


Promotores elevam vencimentos com 'bolsa-aluguel' e estouram teto salarial

Documentos revelam que em pelo menos 5 Estados o Ministério Público dá auxílio-moradia a todos membros da instituição; muitos recebem mais de R$ 26,7 mil, limite no funcionalismo.
 
Promotores e procuradores que têm por dever fiscalizar o cumprimento das leis estão se valendo de legislação que eles mesmos criaram – e só eles podem mudar – para engordar os próprios salários. Documentos inéditos obtidos pelo Estado revelam que pelo menos 950 promotores e procuradores do País recebem mensalmente uma espécie de "bolsa-aluguel". A regalia é paga até para promotores que já estão aposentados.


O auxílio-moradia deveria ser temporário, mas é pago a todos os membros do Ministério Público de pelo menos cinco Estados: Amapá, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Santa Catarina. No total, são gastos, no mínimo, R$ 40 milhões por ano com essa despesa dos promotores, cujos salários vão de R$ 15 mil a R$ 24 mil.


O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) abriu investigação em fevereiro. Passados dois meses, os dados coletados confirmaram as suspeitas: os papéis mostram que promotores incorporam como remuneração o auxílio-moradia, de R$ 2 mil a R$ 4,8 mil, e, em muitos casos, ultrapassam o teto constitucional de R$ 26,7 mil.

Leia mais no Estadão - Política - clique aqui:

É A PRÓPRIA JUSTIÇA ROUBANDO O ERÁRIO PÚBLICO

"Até quando este povo vai engolir a tudo e continuar sem exigir que alguém faça alguma coisa para mudar e para que estas safadezas não continuem acontecendo. Isto é prejudicial a todos nós !!! Será que ninguém quer ver? Será que não existe um ser sequer que queira mudar estas situações penalizadoras para o povo brasileiro? Até quando este povo vai se portar como verdadeiros 'bobos da corte' e admitir ser feito de trouxas por alguns poucos que elaboram e executam as leis em benefício próprio?"

"Como podemos afirmar que vivenciamos uma Democracia quando apenas alguns continuam a ditar as regras? Ou melhor e ainda pior para nós, as suas regras?

Nenhum comentário: