Sr. Abstenção (?!?)

O que é abster-se mesmo? É ser zero, algo que não existe? Algo que vegeta, talvez? Sobrevive de restos, de migalhas, que vive no vale das sombras de tudo? Algo ou alguém que não se importa com absolutamente nada? Alguém que não está nem aí para com os males que afetam a vida de todos no país? Porém, há de considerar que é uma forma de expressão e dentre os oposicionistas do regime vigente, está em primeiro lugar, isto é inegável. 

Os votos para Marina Silva foram que tipo de manifestação mesmo? Alguns votaram por convicção e militância, mas e quanto aos outros? Alguns por não suportar mais esta corrupção a olhos vistos da parte de todos os partidos e seus políticos. E outra gama votou porque ainda não tem consciência e coragem para tomar uma posição firme que somente um cidadão de fato pode tomar. Será que estes ficarão em cima do muro novamente ou votarão com convicção não escolhendo estes dois equívocos que restaram aos partidos políticos apresentar como futuros representantes do Brasil? É fato que alguns farão isso, a questão é saber quantos votarão por um motivo ou por outro.

Só considero mesmo os votos brancos e nulos, estes somaram nove milhões e seiscentos mil no primeiro turno e um pouco mais de sete milhões no segundo turno, estes sim votaram e cumpriram com a sua obrigação de forma consciente. Estes são votos de fato que ajudaram a não eleger a muitos bandidos. E é por estes que vou dar continuidade em minha luta pelo Movimento Voto Nulo, pois sete milhções é um número bastante considerável de cidadãos conscientes da sua obrigação para com a Pátria. O restante dos votos não merecem a mínima consideração, pois votaram pela continuidade de tudo que é ruim neste país. Vê-los no seu mar de lamentações pelos próximos quatro anos só pode ser motivo de pena e de muitas risadas na sua cara e não devem ter qualquer forma de amparo e consolo, pois terão exatamente o que pediram. Conforme já afirmei aqui, quem planta ignorância, jamais colherá sabedoria, portanto quem planta desgraça, não colherá nada além disso.

Ainda falta muito para transformar o Voto Nulo em um Movimento de fato, mas não consigo encontrar coragem para decepcionar e abandonar a mais de seis milhões de simpatizantes. Lamento pela minha incapacidade de organizá-los, de não ter e de não encontrar meios para provocar a união para que trabalhando todos juntos fizessemos do voto nulo algo que todos considerassem e respeitassem como algo realmente válido. A desunião e a desorganização é um crime contra todos nós que acreditamos. Isto é algo para se refletir: como organizar e unir a 6 milhões de cidadãos em prol do engrandecimento do Movimento Voto Nulo? É muita gente e não podemos aceitar ver o Movimento Voto Nulo como algo sem expressão. Muitos não se elegeram pela falta destes seis millhões de votos. Cumprimos com a nossa obrigação, mas precisamos fazer mais para ampliar o número de adeptos e em consequência disto, o número de nossas ações.

Estou convicto que uma das primeiras ações deve vir no sentido de obrigar uma mudança na Lei Eleitoral que cita o voto nulo como não válido e não computado. Esta lei foi eleborada e aprovada por pessoas munidas de má intenção que visavam unicamente desconsiderar a manifestação da população, ou seja, retiraram a hipótese de o povo rejeitar e isto não pode ser aceito como um ato democrático. É discriminatório e preconceituoso para com seis milhões de cidadãos. Para exemplificar, analise a situação em que apenas um entre mil eleitores vota em alguém, então é somente esta opinião que deve prevalecer? Não há lógica nesta lei e precisamos fazer algo para mudá-la já !

Envie suas sugestões para o nosso e-mail: