Institutos de Pesquisa: influências, indução e financiamentos

Você acredita e se deixa induzir pelo que dizem as pesquisas ?  Se alguém financia uma pesquisa e paga um valor altíssimo por ela, aceitaria fazer divulgar algo que fosse contrariamente as suas metas, ao que ela almeja? Veja o que mostra o vídeo abaixo, pois ele pode te fazer repensar estas suas opiniões:





Particularmente, eu duvido destas pesquisas, não refletem a realidade, mesmo porque até agora são 136 milhões de eleitores e o número de entrevistados chega a ser irrisório, um pouco mais de 11 mil. Considero que a justiça brasileira deveria evoluir e interferir determinando a proibição destas pesquisas, pois são um crime gravíssimo contra o país, chego a interpretá-lo como Lesa-Pátria, pois interferem na livre escolha dos cidadãos, o induzem ao "já ganhou". Eu duvido que votos nulos e indecisos somem só 10%, pois segundo dados do próprio TSE das últimas eleições o número destes eleitores somaram 32 milhões e isto significa um mínimo de 23%. Estes organismos deveriam se ater a fazer pesquisas de qualquer outra coisa e deixar de cometer estes crimes contra a Democracia e ao nosso direito fundamental de liberdade de pensamento. O cidadão é livre e ninguém tem o direito de induzi-lo, ou podemos passar a dar uma nova dominação ao nosso Regime, talvez autoritarista, ditatorial ou escravista. Realmente, esse nosso país anda muito perigoso, pois se conseguem quebrar o sigilo de pessoas que tem ligações com o poder, o que não imaginar de nós, simples mortais ? Investigam a vida das pessoas, se utilizam de programas de computador, manipuláveis, para apurar oficialmente eleições, todas estas questões deveriam ser questionadas por uma sociedade que almeja ser livre. Onde há fumaça, há fogo, e se o primeiro mundo com o seu alto desenvolvimento tecnológico rejeita de todas as formas as urnas eletrônicas, então é preciso que a sociedade atente para este fato e não se limitem a equivocar-se considerando-os como ignorantes e atrasados, e se prostando como bons corderinhos ao que dizem os governantes como verdades únicas e acabadas.