Carros Elétricos: advento coloca Governo brasileiro numa "sinuca de bico"


O advento mundial do carro elétrico é realmente preocupante para o governo brasileiro que tanto alardeia seus projetos como Proalcool e Pré-Sal. São altos investimentos que serão feitos, algo em torno de US$ 3 bilhões, pelas informações que nos são passadas, mas que nos parece ser bastante arriscado e dinheiro que pode ser jogado fora. E vamos e convenhamos, em um país com tantas carências, investir tamanha quantia em algo duvidoso é no mínimo, insensato.




É realmente para todos analisarmos e principalmente nosso governo atual, como também é algo para se perguntar aos que pretendem sucedê-lo, pois o carro elétrico não é mais um sonho devido a correntes que já se espalham em países como Estados Unidos, Canadá, França, Japão, China, Alemanha, entre outros, e que carregam principalmente a bandeira da proteção ao meio ambiente. Então, cabe-nos aqui perguntar se o governo brasileiro está atento e realmente preocupado com esta questão ou unicamente em priorizar os seus atuais projetos que nos parece ter mais um caráter político-eleitoreiro do que qualquer outra coisa ?



Os modelos de carros elétricos que estão sendo desenvolvidos apresentam entre outras vantagens, a não poluição do meio ambiente, mas também a diminuição poluição sonora, pois o carro elétrico não faz barulho. No Japão por exemplo, os postos de combustíveis já contam com “bombas” para se recarregar as baterias dos carros, porém o usuário pode recarregá-lo em casa mesmo, o que consome um tempo que vai de 5 a 12 horas para um uso de 24 horas. Mas para os mais afoitos e apressados, também existe a possibilidade de simplesmente trocar rapidamente a bateria, o que leva apenas 1 minuto.

É claro que muitos questionariam sobre o custo destes veículos. É óbvio que como em todos os inventos, enquanto ainda são novidades, realmente são caros, passando de R$ 100 mil. Mas preferimos pensar que isto não continuará por muito tempo, afinal lá atrás, em décadas passadas, o rádio, o próprio carro convencional, a televisão e o computador, também eram objetos caros que no entanto, hoje a grande maioria pode adquirir. Também é bom imaginarmos no sentido de que as montadoras não estão tão bem assim para desprezar o vultuoso lucro que terão ao realizar tal troca na frota brasileira disponibilizando futuramente bons carros a preços tão populares quantos os atuais.

Realmente, esta é uma questão séria. É importante que a sociedade atente para este fato e que cobre do governo uma posição, antes que este gaste muito do nosso dinheiro com coisas que serão inúteis no futuro. Em junho, empresários e representantes do setor automobilístico tentaram um reunião com o Presidente e com os ministros da Fazenda, Indústria e Comércio Exterior e Ciência e Tecnologia, mas esta foi cancelada (ou adiada). No mínimo irresponsabilidade, afinal já se gastou tanto com propagandas para a promoção dos projetos Proalcool e Pré Sal que são os "carros-chefes"  da campanha para a continuidade do atual Governo.   


>  > Leia mais no site da Sociedade Brasileira do Veículo Elétrico - ABVE