Qualquer semelhança...


Cícero, 42 a.C.

Uma nação pode sobreviver aos idiotas e até aos gananciosos.
Mas não pode sobreviver à traição gerada dentro de si mesma.
Um inimigo exterior não é tão perigoso, porque é conhecido e carrega suas bandeiras abertamente.
Mas o traidor se move livremente dentro do governo,
seus melífluos sussurros são ouvidos entre todos e ecoam no próprio vestíbulo do Estado.
E esse traidor não parece ser um traidor; ele fala com familiaridade a suas vítimas,
usa sua face e suas roupas e apela aos sentimentos que se alojam no coração de todas as pessoas.
Ele arruína as raízes da sociedade;
ele trabalha em segredo e oculto na noite para demolir as fundações da nação;
ele infecta o corpo político a tal ponto que este sucumbe.


(Discurso de Cícero, tribuno romano, no ano de 42 a.C., referindo-se à podridão existente no governo.)


***
Discurso proferido há tantos anos, antes mesmo de Cristo... um alerta contra os lobos!