Lula: " A imagem não fala por si ! "



Infelizmente, está dada a largada para esse ano político-eleitoreiro onde os algozes do nosso país se encarregarão de concretizar mais uma palhaçada do “Circo Brasil. A miséria consequente foi implantada e todos estão com certeza, bem munidos com os tributos surrupiados dos bolsos do povo, como também estão com as lábias bem afiadas para aliciar ao emergente. É óbvio que ao citar emergente, não me referi apenas aos pobres, aos favelados ou qualquer outra classe menos favorecida, afinal a miséria hoje não pode ser definida apenas na questão financeira, existe uma ainda pior que é a intelectual, que também não deve ser considerada como quantidade de inteligência deste ou daquele indivíduo, pois existem aqueles incapazes que se fazem de inteligentes e que vivem suas vidas perfeitamente, aceitando tal mentira como verdade, e destes o Brasil está repleto, os tais intelectualóides.

As características destes personagens tristes da história brasileira é que nunca chegam a nada de concreto, pelo menos jamais de forma honesta. Sentem-se os portadores de uma verdade única e absoluta e por aí saem a espalhar suas argumentações que encontraram no conteúdo profundo produzido por uma noitada movida a cachaça e coisas e tal. A sua lábia causa mal ao país, pois geralmente carrega multidões de desiludidos ainda em idade bastante precoce e que naquele momento acreditam que a sua vida se limita apenas ao ínfimo que já viveram. Normalmente ataca a jovens com a promessa falsa de vida fácil, roupas e adesivos coloridos, personagens endeusados e tantas outras coisas metodicamente elaboradas por alguém com um propósito oculto.

Que as nossas terras são as mais ricas do mundo, não há quem conteste e poderia ser ainda mais se não tivesse sido roubada. Quantos povos fizeram a sua riqueza levando as nossas ? Devemos atribuir-lhes culpa sim, mas devemos culpar primeiramente a inocência de um povo conduzido e propositalmente humilde. É o povo brasileiro que sempre vendeu o seu ouro por valores irrisórios, porque se assim não o fizesse seria rico, pois o venderia pelo valor real. Tristemente o homem inocente vende a sua consciência a troco de esmolas achando que está fazendo o melhor negócio do mundo, este sempre foi o retrato da grande maioria do povo brasileiro.

Isto ficou bem claro nesta primeira década do século. A imensa maioria continua sendo conduzida por falsas promessas, continua ignorante e miserável, se deixando enganar e recebendo esmolas como se valessem o preço de ouro, continuam acreditando que a vida fácil é muito melhor do que uma vida produtiva e unicamente movida pela dignidade do seu caráter. Tudo que é maléfico é bom e não há espaço para a razão. A incoerência encarrega-se de construir estas personalidades, pois uma pessoa pode ser boa de fato naquilo que faz, mas se não aparece nos principais veículos da mídia, não encontra apoio e em consequência disto todas as portas se fecham e a oportunidade acaba por não vir. Lamentavelmente, esta é outra triste característica do povo brasileiro que traz tanto prejuízos a todos nós, a sua falta de personalidade própria, a sua falta de coragem para construir por ele mesmo e de fazer a sua parte.

Então ficamos nós, a minoria, à deriva e a mercê de aproveitadores e de oportunistas. Não nos é dada oportunidade de evoluir como seríamos capazes porque a maioria se vende e por qualquer quantia. Em troca de esmolas, bolsas e deem o nome que quiserem a isto, entregam o nosso ouro, o nosso poder de donos aos ladrões, aos corruptos e aos bandidos. Simplesmente elegem sem a menor expressão de culpa àqueles que lhes derem bananas, cachaça, uma camiseta, um boné, uma dentadura, um par de óculos, etc., ou seja, um porcaria qualquer em troca da sua consciência, pois ela não lhe tem qualquer serventia.

Para finalizar gostaria de dizer que eu poderia escrever umas cinco bíblias de tantas situações irônicas que este povo propicia, mas por hora vou lhes afirmar que o senhor das bundas e das cachaças tem muito mais valor neste país do que o senhor do saber e que em sendo assim nunca encontraremos a evolução necessária. Sábio para mim é aquele que diz que este povo não tem personalidade para ser sério o suficiente. Canta e rebola Brasil, enquanto isso, lá no fundinho de uma sala qualquer, alguém está assobiando e contando seus “ganhos reais”.