O voto obrigatório: um engodo democrático

Como um sistema pode identificar-se como democrático se serve de isca para arrancar da consciência popular o direito de dizer “não”? Que sistema democrático é este que aniquila o direito dos cidadãos mais bem informados do País da nulidade de um sistema eleitoral que só privilegia artimanhas eleitoreiras como a troca do voto por um favor qualquer?

Anular o voto é um direito dos mais democráticos que pode se dar ao cidadão. É o direito ao uso do princípio fundamental da Democracia, o de expressar-se livremente e de dizer “não” se ele considera que algo está errado e que em assim sendo, ele não quer.

Como pode alguém contratar um serviço ruim ou menos ruim? Como pode alguém ser obrigado a adquirir um produto que não é bom? Isto é ilógico. Ao não colocar a opção “NULO” nas urnas, estão mascarando o sistema eleitoral, obrigando você a eleger, e negando o seu direito de protestar pela recusa a candidatos e partidos políticos que você não aceita e que não quer. Isto é uma forma criminosa de lavagem cerebral e impositiva pela obrigatoriedade da entrega do seu poder como cidadão contra a sua vontade.

Caso nenhum dos candidatos apresentados satisfaçam as suas expectativas, você não pode abrir mão da sua consciência e ser obrigado a escolher o menos ruim, é isto que pregamos através da campanha pelo voto nulo. É o seu direito de dizer “eu não quero”, “eu não aceito”. E se você aceita isso, automaticamente está ferindo o direito de todos nós de escolher livremente. O voto nulo obriga aos partidos políticos a retirarem os candidatos rejeitados, proibindo-os a candidatarem-se novamente e a apresentarem novos que venham de encontro aos nossos anseios.

Considero que a opção “NULO” nas urnas, seria o ato mais democrático que os nossos representantes poderiam dar, não só a nós brasileiros, mas ao mundo, pois aqueles que fazem o seu trabalho com dignidade, teriam o seu devido reconhecimento, já aqueles que não corresponderem aos anseios populares, seriam retirados. Agir de forma contrária a isto é dar força aos crimes políticos que tantos males tem causado ao País, é ferir a própria Democracia em seu princípio fundamental de liberdade.

Você, cidadão consciente, tem o dever de lutar pela liberdade de expressão do povo brasileiro. O Brasil precisa mais do que nunca disto. Se você não lutar pelo seu direito a negação, estará podando a sua vontade de ser livre e de escolher o que julga certo ou errado. Se você acata a tudo que lhe é imposto, você está cooperando para que o País permaneça estagnado e para que a consciência popular não se desenvolva.

Você é um privilegiado, pois está tendo acesso constante a informação, o que infelizmente é negado a grande maioria, pois é conveniente para a manutenção deste sistema atual corrupto e mantido pela classe dominante. Portanto, use-a para o bem do País, e não permita que os que se utilizam da desinformação popular, explorem e roubem o nosso bem maior, a nossa consciência.

No período eleitoral não deixe de ir votar. Digite um número que não pertença a nenhum dos candidatos, normalmente utilizados o “00” ou “99”. A urna te informará deste erro, mas confirme mesmo assim. Você estará contribuindo de uma forma imensa para com a revolução pacífica do povo brasileiro e isto te causará uma satisfação nunca sentida, te garanto. Você estará dizendo a todos que é um cidadão livre e que tem o direito de simplesmente escolher, conforme a sua consciência.

Somos a resistência. A Pátria precisa de nós mais do que nunca. Portanto, arregace as mangas e vamos a luta para o bem comum de todos.

Instrua ao povo para que não vote em branco e sim para que vote nulo se o seu desejo é não eleger ninguém. Acredite, milhões ainda fazem esta confusão, pois não são feitas campanhas esclarecedoras sobre isto, afinal esta desinformação é conveniente para a manutenção da politicagem barata e corrupta.


Edição de imagem e texto: Marcos Borkowski